A inteligência artificial associada ao Big Data permitiu criar uma solução que prevê antecipadamente todo o tipo de falhas do equipamento. Uma ferramenta que marca a diferença no que toca a segurança, custos e gestão de frotas.

Ficar a saber que o sistema de travagem está com problemas muito antes das pastilha de travão darem qualquer sinal ou ser avisado que um equipamento programado para durar 100 mil horas está com anomalias mesmo antes desse prazo. O sonho de qualquer empresa que faça a gestão de uma frota considerável tornou-se possível graças à solução desenvolvida em conjunto pela PT Empresas e um parceiro tecnológico. Chegou ao mercado em 2019 e o carácter inovador, baseado na inteligência artificial e no Big Data, faz com que esteja em constante atualização.

“Graças ao tipo de inteligência artificial associada à solução, esta consegue ser cada vez mais inteligente a medir parâmetros e consegue ter uma eficácia muito significativa, tanto na previsão de problemas que possam vir a existir como na antecipação de problemas mais graves, capazes de provocar danos mais significativos. É uma solução inteligente que, por via da inteligência artificial e do Big Data, consegue ser muito mais eficaz do que outras soluções que conseguíamos fazer há pouco tempo”, congratula-se Mário Sousa, da direção de produto da PT Empresas.

Desenvolvida em conjunto com um parceiro tecnológico que a PT Empresas prefere manter no anonimato, a solução foi criada para ser trabalhada por um cliente específico e apresentada depois aos restantes clientes da PT. Na prática, a ferramenta inclui uma série de sensores que avaliam um conjunto de parâmetros do veículo e conseguem antever um problema futuro. “Se há um determinado equipamento que está programado para durar 100 mil horas, mas os sensores detetam alguma anomalia ou algo que evidencia que pode haver um problema, o sistema lança um alerta para avisar que algo não está bem. Isto permite que haja uma atuação antes mesmo de se registar a avaria, o que pode reduzir significativamente o custo da intervenção”, explica Mário Sousa.

Sendo empresas que têm de lidar com custos de manutenção e paragem muito elevados, são sobretudo as transportadoras que mais recorrem a este tipo de solução. Ainda para mais, porque a análise dos dados fornecidos pela ferramenta permite antecipar de forma clara quantos veículos estão disponíveis num determinado momento.

Muito recente – tem menos de um ano – é uma ferramenta em constante mudança. “Diria que é uma solução que ainda está em desenvolvimento porque o que consegue fazer hoje não é o que conseguia fazer há um ano e o que poderá fazer dentro de alguns meses. Tudo o que é feito com inteligência artificial vai trabalhando em função do conhecimento que vai adquirindo”, explica Mário Sousa, que sublinha o facto de estas serem soluções que “demoram muito tempo a chegar a um estágio comercial”.

Leia mais aqui.